Manifestações Artísticas Para o Mês da Consciência Negra

Manifestações Artísticas Para o Mês da Consciência Negra

Lucas Lucas 18 nov 2021

O mês de Novembro também é conhecido como o Novembro Negro, devido ao Dia da Consciência Negra. Neste mês, a cultura afrobrasileira é celebrada com muita conscientização sobre o racismo, o preconceito e a violência voltada para a população negra usando de muita música, arte e discursos, no objetivo de chamar atenção das pessoas para a pauta.

Se você quer ficar mais por dentro de manifestações artísticas para o mês da consciência negra que trazem discussões sobre o tema, acompanhe essas dicas do Tudo Pop.

Temas de manifestações artísticas:

Músicos

Emicida

Um dos nomes mais proeminentes no meio cultural brasileiro, Leandro Roque de Oliveira, mais conhecido pelo nome artístico Emicida, é um rapper, cantor, letrista e compositor brasileiro. Em seu repertório estão as poderosas músicas do álbum AmarElo. Além das músicas Pantera Negra, Levanta e Anda, entre outras.

Djonga

Um dos nomes mais conhecidos no rap, Gustavo Pereira Marques, mais conhecido pelo nome artístico Djonga, é um rapper, escritor, historiador e compositor brasileiro. Suas letras são amargas, complexas e, para alguns, ofensivas. Porém, todas refletem seus ideais antirracistas.

Receba Novidades

WD

Uma revelação no meio musical, Washington Duarte, também conhecido como WD chamou muita atenção depois de sua apresentação às cegas no The Voice Brasil. Onde cantou seu single Eu Sou, do álbum homônimo. WD canta sobre aceitação, racismo e consciência da população negra.

IZA

Isabela Cristina Correia de Lima Lima, mais conhecida pelo seu nome artístico IZA é uma cantora, compositora, apresentadora e publicitária brasileira. Ela fez sucesso com seu álbum Dona de Mim. IZA também se tornou um nome na boca de todos depois do single Ginga, do mesmo álbum.

Podcasts

Afetos

O podcast Afetos, como o nome diz, fala sobre as relações pessoais e sentimentos da comunidade negra. Além de trazer como pauta, reflexões e a subjetividade da experiência do que é ser negro ou negra. As organizadoras são Gabi Oliveira, também Youtuber e Karina Vieira.

O podcast está disponível no Spotify e Deezer.

AfroPai

Assim como o Afetos, o nome do AfroPai é bem esclarecedor. O público-alvo do podcast são os pais negros, nos mais diversos contextos. Família, relações afetivas, sexo, cotidiano, entre outros. Os organizadores e apresentadores são Helio Gomes e Leandro Ferreira.

O podcast está disponível no Castbox e Spotify.

Kilombas Podcast

O Kilombas Podcast é um projeto cearense do curso Dandara dos Palmares – Gênero, Raça e Etnia na Comunicação em 2019. Aborda temas de representatividade negra na mídia, religião, autocuidado e ancestralidade. O podcast é organizado por mulheres negras, Alice Araújo, Letícia Feitosa e Silvelena Gomes.

O podcast está disponível no Deezer, Spotify e SoundCloud.

Papo Preto

O Papo Preto debate sobre autoestima, bem-estar e cotidiano da comunidade negra de maneira geral. O Papo Preto é organizado por uma agência de jornalismo independente, o Alma Preta Jornalismo.

O podcast está disponível no Spotify

Livros

Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil, de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é uma ativista, escritora e filósofa que produziu inúmeros artigos publicados entre 2001 e 2010. Discutindo racismo, sexismo e a desigualdade no país, este livro reúne os seus melhores textos. Os textos incentivam a reflexão crítica sobre a sociedade brasileira, especialmente sobre o racismo e sexismo.

Negritude: usos e sentidos, de Kabengele Munanga

Este livro foi escrito por um dos maiores estudiosos de cultura negra do país e no mundo. Kabengele Munanga convida o leitor a refletir sobre a construçõ identitária da nação e da configuração social, cultural, política e econômica do Brasil.

Lugar de Fala, de Djamila Ribeiro

O objetivo deste livro é trazer luz sobre o conceito de lugar de fala. A autora contextualiza o indivíduo na sociedade cis-hétero-patriarcal euro-centrada, para que assim possamos identificar as diversas vivências do ser humano, e o lugar de fala dos discursos.

Nem preto nem branco, muito pelo contrário: Cor e raça na sociabilidade brasileira, de Lilia Moritz Schwarcz

Neste livro, a antropóloga Lilia Moritz Schwarcz revela a identidade de um país marcado por um tipo único de racismo, o que é negado publicamente, mas praticado na intimidade. Para trazer essa leitura, a autora leva o leitor a um Brasil recém-“descoberto” e apresenta os primeiros relatos dos viajantes e teorias sobre esse povo novo que acabava de ter sido enconstrado.

Canais no YouTube

Consciência Negra

Consciência Negra

Afros e Afins, Nataly Neri

O canal Afros e Afins foi um projeto da blogueira Nátaly Neri para criar um espaço para compartilhar suas descobertas e processos individuais. De maneira simples e acessível, ela aborda temas sobre gênero, raça, beleza e sustentabilidade. Além também de tratar sobre sexualidade, veganismo, consumo conscientes e relacionamentos.

Canal de Pretas, Gabi Oliveira

A Gabi Oliveira trata sobre temas como beleza, moda, autocuidado, maquiagem e cabelo. Mas não fica só aí, ela debate questões raciais, especialmente sobre mulheres negras.

Canal Muro Pequeno, por Murilo Araújo

Muro Pequeno é organizado pelo Murilo Araújo, ele é militante, cristão e seus vídeos sempre focam em pautas raciais. Trazendo discussões sobre racismo, sobre a vida e sociedade.

Canal Papo de Preta, por Natália Rumualdo e Maristela Rosa

O Canal Papo de Preta também é voltado para a discussão do racismo e a comunidade negra. Mas também traz temas como beleza, autocuidado, cultura pop e coisas do dia-a-dia.

Atos políticos na Conciência Negra

No dia 20 de Novembro, Dia da Consciência Negra, haverão mobilizações que acompanham a data todos os anos, em vários locais do Brasil. Se é do seu interesse, procure na sua capital se haverá alguma manifestação.

Fique por dentro

Receba as novidades no seu e-mail.

icone newsletter
banner lateral

Encontre o plano ideal para você.

Veja os planos